PSICO-AFROLIBERDÉLIA 2018-04-11T15:53:16+00:00
PT | EN
PSICO-AFROLIBERDÉLIA

A Arte Terapêutica de João Fróis

Título:
PSICO-AFROLIBERDÉLIA
A Arte Terapêutica de João Fróis

Data:
29 Abril > 30 Junho 2017 + Uns Dias
Local:
Galeria Cruzes Canhoto, Rua Miguel Bombarda, 452, Porto
Curadoria:
Cruzes Canhoto
Textos:
Tiago Coen / Cruzes Canhoto
Fotografias:
Nuno Marques / Cruzes Canhoto
Design:
Joana Não / Cruzes Canhoto


Nascido em 1949, em Lourenço Marques (actual Maputo), João Fróis provém de uma família Alentejana radicada em Moçambique há três gerações.

Na ex-colónia portuguesa, onde permaneceu até 2001, fez de tudo um pouco, dando sentido à sua personalidade desalinhada, diletante e aventureira. Entre outras actividades, foi militar, jornalista, treinador de basquetebol, modelo vivo e assistente de bordo das Linhas Aéreas de Moçambique. Nos tempos livres, desenhava e pintava, aproveitando o convívio que mantinha de perto com o meio boémio e artístico local, onde se incluíam Malangatana e Chichorro.
Vive actualmente em Ponte de Lima, completamente arredado do sistema, numa espécie de isolamento que lhe permite levar os dias como gosta, livre e desprendido de questões materiais.
Autodidacta, faz arte como terapia mental, sobretudo quando a vida lhe corre menos bem, nunca tendo manifestado grande interesse em projectar-se como artista.

Os 60 desenhos psicadélicos e surrealistas, impregnados de motivos africanos, que compõem esta exposição foram quase todos criados entre 2003 e 2014, em vulgares folhas de caderno, usando uma caneta de aparo ou uma simples esferográfica. A cor presente em alguns dos trabalhos resulta da aplicação invulgar de verniz de vitral.
Se, por um lado, são criações marcadas por uma clara circunstancialidade mental do artista, por outro, estão, como o seu criador, alheadas de quaisquer circunstâncias espaciais ou temporais, por força da alienação a que este se entregou.
Trata-se de algo absolutamente inédito, um tesouro raro que pode agora ser apreciado em público pela primeira vez. Para além da riqueza formal, do trabalho laborioso e da excentricidade das representações, as obras que fazem parte desta mostra têm um valor acrescido por serem resultado de um processo inconsciente singular de auto-terapia ao longo de uma década, e não de uma actividade regular de expressão artística com o propósito consciente de mostrar e vender o trabalho final.

Todas as obras expostas no espaço da Cruzes Canhoto estão agora disponíveis para aquisição online.
Para o fazer, entre em contacto directo com a galeria.