INTERSTELLARE 2018-10-11T10:00:04+00:00
PT | EN
INTERSTELLARE

Monica Faverio

Título:
INTERSTELLARE
Monica Faverio

Data:
14 Julho > 30 Setembro 2018 + Uns Dias
Local:
Galeria Cruzes Canhoto, Rua Miguel Bombarda, 452, Porto
Curadoria:
Cruzes Canhoto
Fotografias:
Nuno Marques / Irish Faverio / Cruzes Canhoto

Agradecimentos:
a meu pai – iniciação às forças da Natureza,
ao mestre Sante Pizzol – iniciação ao vitral,
ao mestre Narcissus Quagliata – iniciação à vitrofusão,
à mestre Silvia Levenson – iniciação à técnica de glass casting,
à mestre Joana Pestana Begonha – iniciação à ourivesaria,
e a todos os outros seres que me acompanham neste caminho.

Monica Faverio (n. 1963, Como, Itália) apresenta-se como criativa de matérias maleáveis.
Especialista diplomada na criação e recuperação de vitrais, estudou com alguns dos mais conhecidos mestres internacionais dessa área.
Entre muitas obras e empreitadas, fez parte das equipas de restauro dos vitrais do Mosteiro da Batalha, do Mosteiro de Alcobaça, do Palácio de Belém (Lisboa) e do Palácio Sant’Anna (sede do Governo Regional dos Açores).
Desde 2015, tem-se dedicado ao estudo e à criação de peças de joalharia e de ourivesaria contemporânea.
Nesta exposição apresenta objectos como naves como jóias como arte. Alquimias cósmicas do espaço urbano, marítimo e rural, em fluxos de energias flexíveis.

«Nascemos por acção de determinadas conexões cósmicas, induzidas por jactos de energia. Passamos de um estado ‘etérico’ para um estado ‘matérico’. Algo que podemos assumir ou não. Para quase todos, viver com os pés bem assentes na Terra é o grande desafio. Assim conduzem toda a sua vida. Eu sou daqueles que ficam a pairar entre raios e sopros de sonhos misteriosos.
Sinto a vibração da matéria que anda à minha volta. Seja ela a base do mundo vegetal, animal ou mineral. Atravesso-a. Sinto os pensamentos dos outros seres. O coração de uma baleia a bater enquanto atravessa os oceanos… O ‘vagito’ – o primeiro som de uma estrela acabada de parir… Tudo é atravessado pela mesma vibração. Coisas sobre as quais os humanos ‘normalmente’ não dedicam tempo a pensar.
As minhas criações evocam isso. Eu só interpreto o que sinto.»

«As Aeronaves Interestelares são a materialização de um acontecimento que se prevê vir a ocorrer neste lindo planeta repleto de cores, fragâncias, sons e formas.
Actualmente, existe uma grande controvérsia entre os seres que habitam a Terra, já que nem todos são guiados pela inspiração da harmonia e do ritmo da Natureza. Aprenderam a dominar a luz e a viver na noite, ocultando assim as estrelas do seu olhar. Com isso, acabaram por se esquecer da beleza que delas emana e deixaram de se encantar com elas.
Aqueles humanos que se consideram dotados de inteligência e se sentem superiores aos restantes seres na Terra convenceram-se de ter dominado o bem e o mal, só que algo escapou ao seu controlo e o mal acabou por ficar mais poderoso, colocando em risco o equilíbrio no planeta Terra.
Surgem, então, as Aeronaves Interestelares, preparadas para se materializar quando o delicado equilíbrio quebrar de vez. Irão aparecer do nada, sobrevoando as planícies, as montanhas, a superfície dos oceanos, e irão recolher aqueles seres que estejam preparados para entrar nos pequenos habitáculos, capazes de acolherem as mais diversas almas, da fauna ou da flora terrestre. Os seres do mal, na superfície terrestre, fora do controlo, ficarão assim a lutar consigo mesmo até se consumirem e esvanecerem.
As Aeronaves Interestelares trazem consigo lembranças pertencentes ao planeta Terra, para assim se fazerem reconhecer, porque poderão ainda existir aqui muitos seres incrédulos e reticentes. Estes, deixarão de ter temor quando pressentirem o conforto e o aconchego de quem está de volta à sua própria casa.
Cada uma das naves pode ter uma, duas ou três estrelas, disseminadas no longínquo espaço sideral donde elas provêm e para onde elas irão voltar, chamadas pelas suas estrelas gémeas.
O humano que escolher uma Aeronave Interestelar, vai fazê-lo porque sentirá despertar uma espécie de inspiração ancestral e irá querer ficar com ela. Poderá andar pelas ruas com ela, ou escolher um lugar na sua casa para a mostrar, podendo assim ser reconhecido pelos outros seres também possuidores deste tipo de aeronaves, sentindo-se em sintonia.»

[Monica Faverio, 2018]

Todas as obras expostas no espaço da Cruzes Canhoto estão agora disponíveis para aquisição online.
Para o fazer, entre em contacto directo com a galeria.

NAVES

As naves são esculturas acabadas em bronze e vidro do tipo Murano, envolvidas numa caixa de madeira com um tampo de vidro (20x20x5cm). Tudo feito à mão.
Funcionam como peças de arte, que se podem suspender na parede, ou como jóias passíveis de uso.

MANAS